terça-feira, 30 de março de 2010

Festilha: cocada, craque e internet

Por Emerson Souza Gomes*


- Eu também arranho o meu violãozinho...


Tá certo, entre quatro paredes, para tirar o estresse do trabalho. Nada melhor que cultivar um bom hábito e hobby é um bom hábito que esqueceu de ganhar dinheiro. Mas a vida não é só ganhar dinheiro - a despeito de que também o seja. Há outra coisa importante: Três chopes com dois amigos.


Três chopes - me refiro - um atrás do outro para cada um dos amigos - a conta no mínimo é de nove chopes ou três cervejas. Porque sentar em uma mesa de bar e tomar um chope e ir embora é coisa da namorada que não pediu um suco de acerola. Dois amigos são essenciais. Um, porque amigo é algo chato (então te que ser dois), mas um chato qualificado. Li em algum lugar: “- Eles são os chatos adoráveis”. Os amigos integram o rol das pessoas desinteressantes que nos interessam. São aquelas pessoas que gostam de pensar e de falar as mesmas coisas que você gosta, muito embora a sua opinião seja diametralmente contrária. E nisto, o melhor lugar para se discutir opinião diametralmente contrária é numa mesa de bar, com nove chopes e dois amigos. Isto para os homens. Para as mulheres, talvez possa ser o cabeleireiro ou a fuga em bando para banheiro (do barzinho! E nós ainda falamos que elas demoram por lá!).


Mas estava falando de violão e aqui na Ilha, vira uma esquina, e tá lá o moleque abraçado com o pinho ou com a guitarra. Antes da internet não se tinha muita opção em uma cidade pequena. Cidade pequena não tem em regra shopping center. Para a guriada tem escola, futebol, o posto de gasolina, a saída do final de semana para “pegá as guria” e o violão que se toca para os amigos ou que o amigo toca para os amigos. Em São Chico pelo menos era assim. Isto, talvez, tenha mudado com a internet. As opções aumentaram: Agora tem chate, Orkut, MSN, twiter, site de putaria à vontade e as notícias do big brother. Você pode pensar que eu sou um nostálgico, reacionário à internet, mas não sou. Eu também uso a internet (mais no trabalho e menos no resto até porque arranho o meu violãozinho).


Ia me esquecendo: Cidade pequena tem uma opção que sempre foi e será muito prestigiada. As festividades da cidade. Lá dos rincões da adolescência, quando eu ainda estava na Ilha, eu lembro da “festa da cocada”. Tá ligado, quarentão (ou pós-balzaca)! A festa da igreja, da Nossa Senhora da Graça. Aquela coisa bem de interior mesmo, onde o povão se misturava no meio das barracas do Paraguai e se escutava Paralamas do Sucesso no auto-falante da casa paroquial (em meio às pilhas de cocada das barraquinhas). Nem quero falar muito disto, porque (aí, sim) é uma puta reminiscência nostálgica. Mas de tudo que não vou falar, mas que você lembra muito bem (baladinha do Cruzeiro, Modern Talking no Vitória, e mesmo o x-salada do Dude) é certo que uma festividade local sempre será uma opção e a Festilha apareceu cabendo como uma luva.


No meio das festas catarinenses, Oktober, Marejada, Festa do Pinhão (eu não vou ficar aqui enumerando porque catarina gosta de festa), a Festilha em São Chico, na minha apreciação, é uma “festa da cocada” onde a única diferença para o povão é que “turista vem” e não estou aqui querendo minimizar a importância da festa. Honestamente: De forma alguma!


Cultivar as tradições é dar valor não só à história, à cultura, aos costumes, à culinária, à dança, mas, sobretudo, é dar valor ao povo. Isto, POVO, com letras maiúsculas e com grifos nosso. É um momento de celebração, de memória (muito embora o povo seja meio desmemoriado). É um momento de “festa da cocada” onde as pessoas saem à rua em um dia especial (e aguardam este dia especial - pode ter certeza que aguardam) passeiam com a família, encontram os amigos, namoraram, trocam de namorada, nem que seja a do turista (isto se resolve depois da festa). É um randevu organizado: O povo quer é ser feliz! E isto, para que eu não seja mal compreendido, é um débito público.


Festejar tradições, raízes, ter um “dia especial” onde o município congrega a sua população ao redor de uma “data especial” e busca com isto o “lazer”, é um direito a ser proporcionado pelo poder público. Como me referi, a vida não é só ganhar dinheiro (trabalho) é também comemorar o fruto do trabalho e o fruto do trabalho constrói a história! Disto tudo, então, sou a favor da Festilha, sim! Tem que ter Festilha. Tem que ter cocada e de preferência que o turista venha comprar a cocada, mas não pode, para isto (importantíssimo): Tirar o foco da cocada!


Agora, falando da cocada mesmo em si, todo mundo tem cocada. A globalização tem; tem a cocada mandarim; a do Obama; a da Gisele - que deve ser muito saborosa; ...até Nossa Senhora tinha cocada da boa por aqui... Então, qual é a cocada agora? Quero falar de uma cocada que tive conhecimento que não vai ter na Festilha. Do fato de que em São Francisco do Sul - soube disto numa conversa com dois amigos no primeiro chope - há em torno de 40 bandas de música. Moleques com 15, 16, 17, 18, 19 anos.... que tocam durante o ano todo no fundo do quintal da mãe do amigo, na hora em que não estão metidos na internet, e que não vão ter espaço para tocar na Festilha:



Falta um palco arternativo!


Isto, pelo fato de que, como falei, vira-se uma esquina e tá lá o garoto com o seu violão (e este garoto está naquela esquina com o seu violão há décadas). Soube, inclusive, que há uma associação de músicos e que está associação não vai ter espaço na festa. Taí o absurdo! Qual é o pai que não quer ver o seu filho tocando na Festilha? O amigo? A galerinha? Todo mundo quer ver, inclusive, o turista. Eu não estou incluindo, neste grande grupo, os pagodeiros, o pessoal da seresta, do samba... É de fato algo revoltante saber que os jovens só vão ter espaço na festa para bater palmas para a cocada do Paralamas do Sucesso! (Nada contra, até gosto):


"Mas, tudo bem, menos mal, os Paralamas saíram do alto-falante da casa paroquial” (e segue o “rap”). Vai ter Paralamas do Sucesso!


Bom, por último, a matemática da política:


Um governo dura quatro anos, podendo virar oito, e com sucessão, no mínimo doze. Some-se à idade de uma criança de 10 anos e teremos 22 anos, que é tempo bastante para um moleque de 10 anos, pensar em usar a primeira vez - por 12 anos - o craque. O garoto do violão da esquina, talvez pense 360 dias em tocar 40 minutos na Festilha, então: COLOCA ELE NO PALCO!


Era isto ou não, como diria Platão!
 
 
* Emerson é advogado

26 comentários:

  1. Olá, amigo Emerson Souza Gomes!

    Sou contra, extremamente contra esse filantropismo cultural com os ouvidos dos outros!
    Na ultima festilha quase tiver um AVC ao parar alguns minutinhos enfrente a um palco alternativo, os caras esganiçavam... auuuuuuuuuu, auuuuuuuuu!!
    Querem espaço pra tocar? Então busquem junto às autoridades locais a criação da virada cultural. Na festilha NÃO, musica ruim já ouço dentro de casa (filho, para de cantar no chuveiro!)

    CLEBER TAVARES

    ResponderExcluir
  2. Legião Urbana
    Aloha


    “Será que ninguém vê o caos em que vivemos?
    Os jovens são tão jovens e fica tudo por isso mesmo
    A juventude é rica, a juventude é pobre, a juventude sofre e ninguém parece perceber
    Eu tenho um coração, eu tenho ideais
    Eu gosto de cinema e de coisas naturais e penso sempre em sexo, oh yeah!

    Todo adulto tem inveja dos mais jovens a juventude está sozinha
    Não há ninguém para ajudar a explicar porque é que o mundo é este desastre que aí está
    Eu não sei, eu não sei!!!
    Dizem que eu não sei nada, dizem que eu não tenho opinião
    Me compram, me vendem, me estragam e é tudo mentira, me deixam na mão
    Não me deixam fazer nada e a culpa é sempre minha, oh yeah!

    E meus amigos parecem ter medo de quem fala o que sentiu, de quem pensa diferente...
    ... Nos querem todos iguais, assim é bem mais fácil nos controlar
    E mentir, mentir, mentir!
    E matar, matar, matar!
    O que eu tenho de melhor: - Minha esperança!
    Que se faça o sacrifício e cresçam logo as crianças”.



    Música, letra... E dança

    ResponderExcluir
  3. Colega blogueiro Emerson, volte sempre que puder com outras crônicas. Parabéns. Você enriquece este blog ocupando o espaço de quem nada tem a dizer mas que precisa ouvir (ler, neste caso). Srs blogueiros, mirem-se nos "post's" de pessoas como o Sr Emerson e outros que navegam neste espaço e procurem espelhar-se para sair da mesmice do proselitismo politico-partidário e agressões gratuitas que nada contribuem para a coletividade.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, mas num desgoverno da moralização, ou num governo da desmoralização, o que podemos esperar?
    O secretariado é todo importado, seus assessores idem, os comissionados estavam nos palanques adversários... Infelizmente elegemos uma pessoa totalmente despreparada para administrar uma cidade, e olha que a cidade nem é tão grande. Bastava ele colocar pessoas da CIDADE para ajudá-lo, pois já vimos que ele não sabe fazer nada, então que pelo menos contratasse quem sabe, e quem de fato gosta da cidade. Mas ele fez tudo ao contrário... Contratou pessoas que não conhecem a cidade e que pelo visto também não gostam da cidade, e deu cargos a pessoas que ODEIAM ele...
    Que estratégia pouco política do nosso querido Prefeito.

    ResponderExcluir
  5. ...e essas pessoas que o odeiam, estão remando contra a maré, está claro e evidente, só não vê quem não quer.

    ResponderExcluir
  6. Num entendi, o que ele falou??? Texto chato.

    ResponderExcluir
  7. Srs blogueiros, deixemos de xenofobia, pessoas de fora podem trazer conhecimento novo e novas idéias. Vamos solicitar que os gestores venham a público informar o que estão fazendo e o que pretendem fazer e ai sim, teremos condições de discutir erros e acertos. O que está faltando é informação. Dei uma olhada no sitio da Prefeitura e pude verificar que lá já estão postadoas informações sobre os trabalhos das Secretarias. Vamos procurar saber se tudo é real. Falta também os responsáveis virem até este espaço para nos informar, aqui é bem melhor pois podemos interagir diretamente. Não podemos também tornar geral um problema localizado. Andando pela cidade podemos comprovar que o DEMTRAN está realizando um bom trabalho assim como deve estar ocorrendo com outros órgãos. Pessoas certas devem ser colocadas nos lugares certos e não obrigatoriamente devem ser da cidade, isto não lhes confere capacidade de trabalho e conhecimemnto.

    ResponderExcluir
  8. Adorei sua crônica. Concordo que os jovens da terra deveriam ter seu espaço sim. Quem não quiser ouvir (como o amigo Cleber) não é obrigado a parar. Mas a Festa é nossa, porque só dar valor aos de fora? Já tem pouca coisa para os jovens e quando tem, não são lembrados.
    Vamos buscar essa juventude, valorizar seus dons, sua arte, pois se não der valor, o traficante dá. E olha o crack ai destroçando São Chico e nenhuma campanha. É mais fácil fazer de conta que isso não existe do que criar projetos, programas pra tentar amenizar.
    A Campanha Crack nem pensar é uma ótima idéia.
    Mas aqui serve como "Crack nem pensar" "Nem pensar pra não se incomodar." "Nem pensar pra não ter que tomar providências". "Nem pensar pra não ter que admitir que nossa ilha ta tomada." Enfim..." Nem pensar, isso não existe aqui."
    Vamos abrir os olhos, dar espaço aos nossos jovens, valorizar, criar condições desses jovens, crianças e adolescentes ter algo pra ocupar suas mentes.

    ResponderExcluir
  9. Falando da Festilha, finalmente foi marcado o "show" evangélico. Será dia 16, as 19h, no aterro do Mercado Público, aberto ao público. Os convidados são Daniel & Samuel, de Goiás, dupla evangélica de renome nacional (no mundo evangélico, é óbvio)e que tem potencial para superlotar o aterro. Um dos idealizadores e batalhadores do evento (paralelo à Festilha?) é o Vereador Ruy. Parabéns ao prefeito Luiz Roberto que, ainda que tardiamente, acabou cumprindo uma de suas (não poucas) promessas. Quem viver, verá!

    ResponderExcluir
  10. Estarei no show do Paralamas, não podia ser diferente. Mas, analisando o custo de uma apresentação destas penso no "retorno", se é que se pode se colocar assim. Provavelmente o cachê do Paralamas deve ficar acima de R$100.000,00, isto pra um show com no máximo 2 horas. De onde é que virão a maioria das pessoas pra assistir os shows? Turista, de Joiville???!!! Lamentável saber também que nossos artistas não terão espaço. E o senhor que não gosta de ouvir o filho no chuveiro mudaria de idéia na hora quando soubesse que o filho pode ganhar dinheiro cantando e ainda fosse conhecido por este país afora, a questão é que nada neste mundo se faz sem investimento. Se acha que o garoto não canta bem, pague aulas de canto para o guri e se ele tiver talento a sorte dele pode ser outra na vida. Pena nossa mentalidade ainda ser resultado do colonialismo, ou seja, o que é de fora é muito melhor.

    ResponderExcluir
  11. O turista que gasta, que gera empregos, que leva a imagem da cidade para outros turistas não é o que vem na festilha hoje. Até viria se a FESTA DAS TRADIÇÕES DA ILHA não perdesse o foco tanto assim e oferecesse ao turista a rica cultura local, as TRADIÇÕES DA ILHA!
    Vamos preparar nossos jovens para que possam se apresentar dignamente e fazer bonito na FESTA que é do povo pra turista PAGAR PRA VER!!!

    ResponderExcluir
  12. Parabéns Sr. Emerson Souza Gomes, interessante sua "Crônica".
    E Eu como Francisquense de Berço e Músico Amador à Anos nesta Cidade, tenho o "Orgulho" de dizer que: A Cidade que Menos dá Chance ou Ouvidos aos Jovens é a nossa Amaldiçoada SÃO FRANCISCO DO SUL! Digo "Amaldiçoada" pela Indignação que já passei(Como Músico Amador) e continuo assistindo dessas "Administrações Culturais" que não dão espaços amplos e Apoio Moral nem mesmo Cultural aos JOVENS MÚSICOS que não são UM nem Dois, São pra mais de 70 e dentre a faixetaria de Idade dos 16 aos 40 e poucos e Todos de Excelente Educação e Disposição e Aptos a demonstrar cada um seu Trabalho e sua Respectiva Obra à qualquer Momento...a qualquer Instante.
    Já pastei muito com minha Banda na porta da Prefeitura e cansei muito em esperar na porta da Fundação Cultural sobre algo relativamente inexistente...um Extender de Mão ou uma Palavra de Confiança ou de Apoio Moral, digo isto de Peito Aberto pois nas Cidades Vizinhas Todos os Músicos Amadores são Apoiados de todas as formas possíveis(digo isto pois acompanho amigos e parentes de fora) e Apoio Verdadeiro e não Temporário ou Vazio como Ocorre em Nossa São Chico.
    Agora digo aos PERTURBADOS/ENCOMODADOS/IDOSOS que são MAIORIA(Principamente pessoas como SR. CLEBER TAVARES, que são Muitas) que são contra o PALCO ALTERNATIVO ditamente EXTINTO da Festilha; SE VOCÊ NÃO GOSTA OU NÃO SUPORTA PORQUE PARA PRA VER OU PASSA NA FRENTE DO PALCO ALTERNATIVO? ALGUÉM TE OBRIGOU A FICAR ALI OU ALGUÉM TE CHAMOU PRA FICAR ALI ??
    POVO IGNORANTE, por isto SÃO FRANCISCO DO SUL NÃO VAI PARA FRENTE NEM TEM CHANCE DE IR COM PESSOAS ASSIM... As vezes sinto Vergonha em saber como Francisquense NATO que existam pessoas assim e logo Aqui!

    SDS/ André Fernandes da Silva
    Ex-Vocal da Extinta Banda de São chico: CRAZY CROW

    ResponderExcluir
  13. Deu pra ti... Baixo Astral!!!31 de março de 2010 15:46

    CLEBER TAVARES, o último Palco Alternativo realizado na FESTILHA foi na gestão do então prefeito Rogerinho, lembra o ano?
    Claro que você não lembra, então, fique bem quietinho quando você fala a respeito de Palco Alternativo e das bandas de rock de nossa cidade, eu toquei nos dois únicos Palcos que tiveram, e infelizmente foram nos dois últimos anos da gestão do Rogerinho, pois lembro-me que em uma das reuniões com o Secretário de Turismo J.Cevinsky (do grupo de dança The Boys) do então prefeito Odilon, o mesmo nos disse que rock não faz parte da cultura francisquense, coitado, acho que ele não conheceu Apolo Jovem (que tocou em países da América do Sul) ou Tora e tantas outras bandas de rock da Ilha, infelizmente "o espaço é curto, quase um curral", que o diga o Sr. prefeito que esteve em várias reuniões no Dude Lanches quando era candidato, nós ainda esperamos por um espaço nas festividades da Ilha, pois cremos que o Sr. Prefeito vai nos ajudar, ao menos tentar, ele tem problemas demais pra resolver, mas vai olhar por nós SIM!

    CLEBER TAVARES, vai lutar pelo teu espaço, por competência e merecimento espero, e deixe quem quer fazer alguma coisa ***. Já pensou em aprender a arte de tocar um instrumento musical? Quando você aprender, você verá um mundo colorido, radiante e feliz, e talvez encontre tempo pra você retirar todo o rancor e tristeza do coração, e que isto sirva como um incentivo pra você sorrir vendo "a vida e o mundo azul", antes que você morra de um AVC ouvindo as belas melodias e letras de funk, engrandecedoras da língua portuguesa e cheias de valores morais e éticos, ou quem sabe morra ouvindo outra música cheia de criatividade do tipo "segura o tchan, amarra o tchan" ou "a barata da vizinha ta na minha cama", "Bate na palma da mão, vai mechendo o popozão", "Festa no Ap" ou "rebolation", letras lindas não acha? Educativas, digamos!


    Ah, aproveite e ouça Legião Urbana como diz nosso amigo do comentário anterior, conheces Renato Russo? Cazuza? Belchior? Fagner? 14Biz? Elis? Secos? M.Nascimento? Mutantes? Expresso Rural? O Terço? M.Monte? Made in Brazil? Absinto?

    ResponderExcluir
  14. SÃO CHICO TINHA.....

    A terra do já teve como é conhecida, São Chico, carisosamente chamada de ilha encantada, tem muito a apresentar, tem talentos que até sobra.

    Só não tem no momento uma banda para animar uma Festilha. (digo tipo palco alternativo)

    Temos a Banda NOVA LENDA QUE É ÓTIMA E OUTRAS. Mais tem um grupo de pagode que tava tocando em uma lanchonete no trevo da entrada da cidade... semana passada, ETA COISA RUIM DESAFINADA.

    Quando disse que São Chico tinha, antes tinhamos Show de calouros no Cine Teatro X de Novembro.

    Tinhamos um programa para sabado a noite. Dali poderia quem ganhasse em primeiro, segundo e terceiro lugar, tivesse o direito de animar a festilha, pois dai seria escolhido o melhor dentre os participantes e não só porque tem que dar oportunidade aos jovens musicos porque não somos obrigados a ouvir tal desafinação.

    Se pelo menos tivesse um vocalista a altura o resto da pra enganar. Vão primeiro ficar afinados e saber cantar no ritmo para depois se apresentar.

    Se querem bons valores e musicos afinados, vão no taberna mate amargo as quinta sexta e sabados e vão no Dude sexta sabado e domingo e vejam quantas pessoas cantam afinadissimas no VIDEOKE.
    Ali da pra ver que tem pessoas afinadas e com qualidade ou realizem shows de calouros e de bandas para escolher as mais afinadas para se apresentarem na festilha e até em outras festas da cidade. Mataria dois coelhos com uma paulada só porque voltariamos a ter mais uma opção em São chico.

    O Famoso show de calouros que abriria portas para os novos talentos. Que idéia para a Secretaria de Turismo heinnn...

    ResponderExcluir
  15. O jovens estão cantando no banheiro? é que so foi apresentado para estes jovens uma carne de segunda.... imagina se apresentarmos uma carne de primeira um miolo de alcatra,,, certo que nossos jovens tem que ter seu espaço para que essa geração desenvolva e traga o conhecimento para esta cidade

    ResponderExcluir
  16. gente, que é esse Cleber tavares?
    De que planeta você é?
    Lamentável tua falta de cultura cara, você nega tudo aquilo que com certeza teus pais ouviram e curtiram e dançaram muito. e deixa teu filho cantar, quem canta os males espanta, viva a arte, viva a vida

    Prefeito, coloca um Palco Alternatico pra galera do rock'n roll, vibre com eles prefeito, seja mais feliz tbm, diversifique, crie, tente, aposte, tu é o prefeito...

    Ainda há tempo p sonhar, tira o pé do chão, e voa nas asas do SEnhor Deus!!!
    vamos prefeito; tá esperando o q afinal?

    VIVA A VIDA!
    e VIDA LONGA AO ROCK'N ROLL E A JUVENTUDE FRANCISQUENSE

    d

    ResponderExcluir
  17. BELÍSSIMA CRÔNICA...
    PARABÉNS

    ResponderExcluir
  18. Recado ao Cleber Tavares.

    é por otários igual a ti, que a nossa cidade não perde a sua cultura provinciana.
    Preferes os nossos jovens enterrados na droga que praticando algum instrumento musical ?
    Já foste ver os garotos do gauchinho, tocando cavaco ?
    Não sei como o ZERA não te convidou pra ser secretário da cultura . Se o teu filho canta mal, coloca ele numa aula de canto, ou de balé.

    ResponderExcluir
  19. Maxuel,

    Não tem nada a ver XENOFOBIA, estamos entrando no 16º mês da atual gestão, e até agora não vimos nada realizado. Se fossem pessoas importadas, mas que estivessem agindo, com certeza ninguérm falaria nada. Mas infelizmente nosso Prefeito preferiu dar chance aos de fora, e esqueceu as pessoas da terra, que AMAM São Francisco. É uma pena, pois apostei nele, e, se ele tivesse feito escolhas certas, tudo estaria as mil maravilhas, e ele permaneceria por 8 anos. Agora, do jeito que as coisas estão, estou duvidando que ele termine os 4 anos.

    Infelizmente!

    ResponderExcluir
  20. 2000 e 2001 foram os dois únicos anos em que foi realizado o Palco Alternativo. Digo isso com conhecimento de causa, pois fui eu mesmo quem organizou. Entre os artistas da cidade tínhamos bandas de: rock, reggae, pop, heavy, punk, gospel, folk, rap e mais. Não foi perfeito, mas era o inicio do que deveria ter se tornado o principal palco artístico do calendário francisquense.
    Apesar de todo nosso esforço, e não foi pouco, é de se lamentar que mais de 100 músicos dos mais variados estilos fiquem fora da festa que “CELEBRA AS TRADIÇÕES DA ILHA”, neste ano.
    Hoje, analisando, percebo que as pessoas envolvidas na época ainda viam como fundamental a presença e o espaço para o artista da cidade. De lá para cá tem se tornado cada vez menos importante e o que era pouco é quase nulo.

    Vale lembrar que estes mais de 100 músicos estão desde julho do ano passado, dispostos e organizados sob o nome de ECOS - Associação Cultural do Rock Francisquense.
    É VÁLIDO lembrar também que a Fundação Cultural tornou viável a realização do 1º Teatro Acústico, no cine teatro X de novembro, domingo passado (28/03).
    Percebo ainda que muitos tenham preconceito e vergonha de nossos artistas.

    Quem não foi ao teatro, por exemplo, perdeu uma boa oportunidade de presenciar belíssimas composições e interpretações. Aconselho quem esteja lendo, que não morra sem ao menos uma vez aproveitar uma noite de música, sentado na poltrona de um teatro. É o que há de melhor.

    Estou envolvido com música a mais de 15 anos e conheço ao menos duas gerações que antecederam a minha e vejo hoje ao menos duas que precedem e digo: -- É a cena mais produtiva que já vi! Praticamente toda a leva atuante tem ênfase no trabalho autoral.

    E para aqueles que não entendem certos estilos de som fica um conselho: Respeite todos os gostos e dê espaço para o iniciante de hoje para que ele seja o profissional de amanhã! Garantido!

    Att,

    Paulo Reis

    ResponderExcluir
  21. POR FALAR EM BANDA DE MÚSICA, É UMA CALAMIDADE E UM ABSURDO O QUE A ATUAL ADMINISTRAÇÃO ESTÁ FAZENDO COM A NOSSA QUERIDA BANDA GUARANI, ORGULHO DOS FRANCISQUENSES. TUDO ISSO POR PICUÍNHAS POLITICAS COM A ADMINISTRAÇAO ANTERIOR
    QUE DAVA ENORME IMPORTANCIA E INCENTIVO A BANDA.
    FRANCISQUENSES VAMOS LUTAR PELA NOSSA BANDA QUE ESTA SENDO ABANDONADA E DEIXADA DE LADO EM TODOS OS ACONTECIMENTOS PÚBLICOS DE NOSSA CIDADE .O
    ATUAL PREFEITO E A SECRETÁRIA DE TURISMO ESTÃO QUERENDO MESMO QUE A BANDA ACABE.A BANDA SEM RECURSOS ESTÁ A BEIRA DE FECHAR SUAS PORTAS.
    O TELEFONE ESTA CORTADO, E PRESTES A CORTAR TAMBÉM LUZ E ÁGUA. O PROFESSOR DE MÚSICA QUE DÁ
    AULAS PARA AS CRIANÇAS E JOVENS ESTÁ SEM RECEBER
    SEUS VENCIMENTOS. ISTO TUDO É MUITO TRISTE E GRAVE POIS ESTAS CRIANÇAS E JOVENS SE NÃO ESTÃO
    EM SEUS ENSAIOS NA BANDA, MUITAS VÊZES PODERIAM
    ESTAR METIDOS EM DROGAS E OUTRAS PORCARIAS QUE O MUNDO OFERECE. NOSSA BANDA QUE PARTICIPAVA DE
    TODOS OS GRANDES ACONTECIMENTOS COMO INAUGURAÇÕES
    CARNAVAL, FESTILHA,FESTAS RELIGIOSAS E TANTOS OUTROS ESTÁ COMPLETAMENTE Á DERIVA E ABANDONADA
    PELO SR. PREFEITO E POR ESTA TAL SECRETARIA DE
    TURISMO.POR FAVOR MEU POVO VAMOS NOS MANIFESTAR
    POIS ESTAREMOS CONTRIBUINDO PARA TIRAR MUITOS JOVENS DA MARGINALIDADE E TAMBÉM PARA QUE NUM FUTURO PRÓXIMO NÃO TENHAMOS QUE DIZER COM SAUDADES QUE JÁ TIVEMOS UMA BANDA EM SÃO FRANCISCO DO SUL, OU DIZER QUE NOSSA CIDADE É A
    TERRA DO JÁ TEVE . POR FAVOR SARED NÃO DEIXE DE PUBLICAR POIS TEMOS A RESPONSABILIDADE DE SALVAR
    NOSSA BANDA GUARANI.

    ResponderExcluir
  22. "Para a banda guarani.
    Porque voces nao pedem uma ajuda na conta de luz.?
    -Eu com certeza ajudaria.

    Não custa tentar. Ao menos para pagar a conta do telefone vocês arruma. Deixem esta naba de prefeito e secretaria de turismo.

    Corram atrás, voces conseguem.

    ResponderExcluir
  23. alguém aí peça pro prefeito se manifestar em relação ao palco alternativo, n necessariamente ao palco, mas aos artistas e bandas francisquenses.
    Ou ele ou a sacretaria de turismo

    alguém pode nos dizer pq n existe mais espaçp p musico francisquense?

    estão matando nossos sonhos

    ResponderExcluir
  24. Concordo em numero, genero e grau que os artistas locais devem sim ter seu espaço, a festilha sempre enalteceu isto, a exemplo foi o apoio até agora dado a Banda Nova Lenda, que infelizmente foi chutada pela Secretaria de Turismo, profissionais que são foram esquecidos, a secretaria com medo contratou 4 bandas de fora, em carater emergencial, com medo que a empresa que ganhasse a licitação contrata-se bandas sem expressão, não lembro até hoje desde 2006 (ano em que a Nova Lenda tocou pela primeira vez nesta festa, após o show de Elba Ramalho)sequer um show deles ter sido fraco, sem público, sem animação, de lambuja ainda sobram os carnavais de 2009 e 2010 em que a banda foi ovacionada, e não havia nenhuma atração nacional tocando antes deles, fica aqui meu protesto registrado e indignado pelo esquecimento, mais sei que santo de casa nunca fez milagre, amigo Sared, se puder publique este em seu blog, e melhor ainda, se puder comentar em seu programa tão ouvido pelos francisquenses, um abraço

    ResponderExcluir
  25. Eu só gostaria que fosse publicado quanto estas bandas de fora estao recebendo pra tocar na festilha pra ver quanto dinheiro que poderia estar girando dentro do municipio está sendo literalmente escoado pra fora. Nao bastando a falta de sensibilidade e ate de solidariedade com os artistas locais, a falta de noçao de economia, botando dinheiro pra fora da cidade como se fosse lixo. Mas senhores, isso é competencia...

    ResponderExcluir
  26. Esta eu respondo facil, Free Band, Pop Band, Nativos e Banda Seven vão custar aos cofres em torno de R$ 14.000,00, uma média de R$ 3.500,00 cada. E as bandas de São chico choram para ganhar algo entre mil e mil e quinhentos, isso pra tocar no palco principal em horário das 22 horas, ja disse santo de casa tem que trabalhar de graça e não faz milagre.

    ResponderExcluir